A NUMEROLOGIA NA ABERTURA DE UMA EMPRESA

 

A abertura de uma empresa envolve um plano de negócio e um estudo de mercado, mas isso não garante o êxito do empreendimento. Para aumentar a chance de um empreendimento ter sucesso o uso da numerologia empresarial é um recurso válido que aumenta  aS chance de sucesso. Basta que se usem todas as ferramentas que a numerologia dispõe. Resumidamente podemos numerar os passos a dar: Para começar é preciso um estudo do mapa numerológico do empreendedor e a análise de seu potencial de negócios. Afinal nem todo mundo tem o perfil de empresário. O mapa mostra também o tipo de atividade que tem maior potencial lucrativo. E se o período é favorável ao novo empreendimento. Se há sociedade é possível ver o grau de compatibilidade entre os sócios e a distribuição das tarefas no negócio.  Nas sociedades de sucesso cada um realiza a função em que se sai melhor e a empresa prospera. O passo seguinte é analisar a razão social, o nome fantasia e a data de registro do contrato social. É preciso que tudo esteja em harmonia com os objetivos do negócio, sendo que cada tipo de negócio tem suas particularidades. Os números melhores para um hotel não funcionam para um supermercado. Isso tem que ser feito por profissional habilitado ou o resultado pode ser desastroso. Depois é preciso escolher o logotipo, ou seja: nome, cores, forma, etc.. Outro passo é escolher o dia e hora mais favorável para a inauguração e como ela deve ser feita.  Uma escolha ruim é bem difícil de consertar. Outra questão é a escolha dos colaboradores e a formação de equipes vencedoras. A numerologia permite escolher as pessoas mais adequadas para cada função e poupar algumas dores de cabeça. Adequar o endereço, a fachada da empresa e sua disposição interna muitas vezes é necessário para melhorar o fluxo de clientes e de vendas. Como se vê, é um conjunto de coisas que devem ser feitas para aumentar as chances de sucesso de qualquer empresa.  Isso não quer dizer que não se possam consertar empresas com problemas, apenas demora mais e é mais complicado.

RÉGIS CAANABARRO